Transparência Internacional analisa operações de empresas ligadas à Petrobras na América Latina

Issued by Transparency International Secretariat



Transparência Internacional, o movimento global anti-corrupção, anunciou hoje que vai analisar as operações das empresas brasileiras de construção ligadas ao escândalo Petrobras em sete países: Argentina, Chile, República Dominicana, Guatemala, Panamá, Peru e Venezuela.

Como as investigações no Brasil continuam a revelar as ligações entre grandes empresas de construção e a corrupção na Petrobras, a Transparência Internacional analisará se as empreiteiras estão seguindo o mesmo modelo de negócio baseado no pagamento de suborno e formação de cartel em outros países onde têm operações significativas.

Por exemplo, apenas na Venezuela, quatro das empresas investigadas no Brasil obtiveram mais de trinta contratos do governo nos últimos anos. Uma investigação preliminar da Transparência Venezuela revelou contratos em atraso, contabilidade opaca e suspeita de influência política na adjudicação de contratos no valor de milhões.

Transparência Internacional - através de seus capítulos nacionais na Argentina, Chile, Guatemala, Panamá, Peru, República Dominicana e Venezuela - está realizando pedidos de acesso a informação a esses governos, com o objetivo de analisar os contratos adjudicados para as empresas na última década. Em parceria com jornalistas investigativos, a Transparência Internacional identificará, nas próximas semanas, potenciais irregularidades e verificará o andamento dos grandes projetos de infraestrutura que são objeto desses contratos.

Estes projetos incluem sistemas de transporte, infraestrutura para a prestação de serviços básicos e outros que têm um impacto direto sobre a qualidade de vida de milhões de famílias na América Latina. Os cidadãos têm o direito de saber sobre o andamento dessas obras de construção contratadas por seus governos.

"O escândalo de corrupção em torno da Petrobras é um dos maiores que já vimos na região, não só pela quantidade de dinheiro envolvido e as ligações entre as elites políticas e empresariais, mas também pelos danos que este sistema corrupto causou a toda sociedade brasileira. Um corajoso juiz e alguns corajosos procuradores, delegados federais e vários jornalistas brasileiros estão neste momento realizando um enorme esforço para impedir que estes corruptos saiam impunes. A Transparência Internacional deseja unir-se a este esforço para garantir que os responsáveis ​​sejam punidos, seja no Brasil ou em outros países na região," disse Alejandro Salas, Diretor Regional para as Américas da Transparência Internacional.

Se a pesquisa da Transparência Internacional descobrir irregularidades, levantar suspeita de acordos de cartel ou tráfico de influência por políticos na concessão de contratos, encaminharemos todas as informações às autoridades competentes, demandaremos que abram investigações formais e que revelem publicamente suas descobertas. A Transparência Internacional também fornecerá informações aos procuradores onde as investigações já estão ocorrendo, como no Peru e no Brasil.

"Com tudo isto, o que estamos demandando é simplesmente prestação de contas à sociedade. Nós não sabemos o que vamos encontrar, mas dado o que o escândalo Petrobras já revelou e o custo dos projetos de infraestrutura, é justo exigir transparência. Precisamos de mudanças sistêmicas que garantam que tais escândalos de corrupção nunca mais voltem a ocorrer," disse Salas.

Todos os sete países ratificaram a Convenção das Nações Unidas contra a Corrupção, que inclui disposições relativas à assistência jurídica mútua () e investigações conjuntas (), que obrigam os Estados signatários a cooperar a nível internacional em investigações de corrupção transfronteiriça.


For any press enquiries please contact

Secretariado da Transparência Internacional
Natalie Baharav
E: .(JavaScript must be enabled to view this email address)
T: +49 30 343820 666

Argentina
Poder Ciudadano
Pablo Secchi
E: .(JavaScript must be enabled to view this email address)
T: +5491151147200

Chile
Chile Transparente
Cesar Iribarren
E: .(JavaScript must be enabled to view this email address)

Guatemala
Acción Ciudadana
Gabriela Ayerdi
E: .(JavaScript must be enabled to view this email address)
T: +502 2388-3400

Panamá
Fundación para el Desarrollo de la Libertad Ciudadana
Carlos Gasnell
E: .(JavaScript must be enabled to view this email address)

Peru
Proetica
Mali Esparza
E: .(JavaScript must be enabled to view this email address)

República Dominicana
Participación Ciudadana
Carlos Pimentel
E: .(JavaScript must be enabled to view this email address)

Venezuela
Transparencia Venezuela
Maria Antonieta Pérez
E: .(JavaScript must be enabled to view this email address)
T: +582125760863

Solicitude

Support Transparency International

Everything you need to know about the 18th International Anti-Corruption Conference (#18IACC)

The #18IACC will take place from 22-24 October in Copenhagen, Denmark under the theme Together for Development, Peace and Security: Now is the Time to Act. Get the latest info and updates here!

Risky business: Europe’s golden visa programmes

Are EU Member States accepting too much risk in their investor migration schemes?

Future Against Corruption Award 2018

TI is calling on young people across the globe to join the anti-corruption movement. People between the age of 18 and 35 are invited to submit a short video clip presenting their idea on new ways to fight corruption. Three finalists will be invited to Berlin during the International Anti-Corruption Day festivities to be awarded with the Future Against Corruption Award. Apply today!

The Azerbaijani Laundromat one year on: has justice been served?

In September last year, a massive leak of bank records from 2012 to 2014 showed that the ruling elite of Azerbaijan ran a $3 billion slush fund and an international money laundering scheme. One year on, has enough been done to hold those involved to account?

Right to information: knowledge is power

The right to information is vital for preventing corruption. When citizens can access key facts and data from governments, it is more difficult to hide abuses of power and other illegal activities - governments can be held accountable.

Paradise lost among Maldives dodgy land deals

Should tourists run for cover as a storm of corruption allegations sweeps across the Maldives?

Foreign bribery rages unchecked in over half of global trade

There are many losers and few winners when companies bribe foreign public officials to win lucrative overseas contracts. In prioritising profits over principles, governments in most major exporting countries fail to prosecute companies flouting laws criminalising foreign bribery.

Why rather

Follow us on Why rather