Força-Tarefa Lava Jato vence Prêmio Anticorrupção da Transparency International

Issued by Transparency International Secretariat



A Transparência Internacional   tem hoje o orgulho de anunciar que a Força-Tarefa Lava Jato do Brasil foi selecionada como a vencedora do Prêmio Anticorrupção de 2016.

A Operação Lava Jato foi iniciada como uma investigação local sobre lavagem de dinheiro eé a maior investigação feita até hoje no Brasil com o objetivo de revelar casos de corrupção governamental. 

Desde abril de 2014, os da Lava Jato estão no comando das investigações. Lidando com um dos maiores escândalos de corrupção do planeta, o caso Petrobrás, eles investigaram e denunciaram sob penas severas alguns dos mais poderosos membros da elite política e econômica brasileira. Até o presente, 232 pessoas foram investigadas e 93 sentenciadas, incluindo políticos de alto escalão e empresários que, no passado, seriam considerados intocáveis. Com sua campanha nacional , os procuradores reivindicam reformas legislativas para aumentar a capacidade de os administradores públicos prevenirem e detectarem casos de corrupção e de as autoridades investigarem, julgarem e punirem esses casos.

Em 30 de novembro, a Câmara dos Deputados aprovou uma versão mais branda da lei. Os deputados eliminaram alguns recursos essenciais sobre a proteção de delações e o financiamento ilegal de campanhas e introduziram uma emenda que abre as portas para o indiciamento de juízes e procuradores por abuso de autoridade. Em casos extremos, a execução das suas funções normais poderia ser interpretada como ilícita de acordo com critérios subjetivos. A nova versão coloca sob risco a independência de juízes e procuradores. 

A legislação proposta ainda tem que passar pelo Senado e a forte pressão pública já começou a reverter as mudanças feitas às “10 Medidas contra a corrupção” originais.

“Bilhões de dólares foram perdidos para a corrupção no Brasil e os brasileiros estão cansados da corrupção que assola seu país. A Força-Tarefa Lava Jato está fazendo um excelente trabalho para garantir que os corruptos, independentemente do seu poder, sejam responsabilizados e que a justiça seja feita”, declarou Mercedes de Freitas, Presidente do Comitê do Prêmio Anticorrupção da Transparency International. “É com muito prazer que premiamos os procuradores brasileiros por trás da Lava Jato, com o Prêmio Anticorrupção de 2016, pelos seus esforços contínuos em pôr fim à corrupção endêmica no Brasil.”

O Prêmio Anticorrupção homenageia indivíduos, organizações internacionais, jornalistas, procuradores, agentes governamentais e líderes da sociedade civil que tenham uma atuação especial no combate à corrupção.

A Operação Lava Jato em curso acionou outras investigações e processos criminais em outros setores e é reconhecida como um marco dos processos penais contra crimes de colarinho branco. As investigações adquiriram força e um grande apoio popular dentro e fora do Brasil.

Os procuradores da Lava Jato são o segundo vencedor brasileiro desde o lançamento dos prêmios da Transparency International em 2000, seguindo os passos do reportante Luis Roberto Mesquita que recebeu o Prêmio de Integridade em 2002.

A  Transparência Internacional recebeu 580 nomeações para 136 indivíduos para o Prêmio Anticorrupção de 2016, reforçando a nossa convicção de que é preciso celebrar os   váriosheróis do combate à corrupção. As nomeações para o prêmio deste ano foram enviadas pelo público e pelas sessões da Transparencia Internacional no mundo todo. O júri do prêmio é um comitê de 8 indivíduos de diferentes partes do mundo que há muitos anos estão ativos no movimento anticorrupção. Vencedores anteriores incluem jornalistas, ativistas e agentes governamentais atuando no combate à corrupção. 

 A Força-Tarefa Lava Jato  receberá o prêmio hoje, durante a na Cidade do Panamá.


For any press enquiries please contact

Natalie Baharav
T: +507 64578869
E: .(JavaScript must be enabled to view this email address)

Solicitude

Support Transparency International

Risky business: Europe’s golden visa programmes

Are EU Member States accepting too much risk in their investor migration schemes?

Future Against Corruption Award 2018

TI is calling on young people across the globe to join the anti-corruption movement. People between the age of 18 and 35 are invited to submit a short video clip presenting their idea on new ways to fight corruption. Three finalists will be invited to Berlin during the International Anti-Corruption Day festivities to be awarded with the Future Against Corruption Award. Apply today!

The Azerbaijani Laundromat one year on: has justice been served?

In September last year, a massive leak of bank records from 2012 to 2014 showed that the ruling elite of Azerbaijan ran a $3 billion slush fund and an international money laundering scheme. One year on, has enough been done to hold those involved to account?

Right to information: knowledge is power

The right to information is vital for preventing corruption. When citizens can access key facts and data from governments, it is more difficult to hide abuses of power and other illegal activities - governments can be held accountable.

Paradise lost among Maldives dodgy land deals

Should tourists run for cover as a storm of corruption allegations sweeps across the Maldives?

Foreign bribery rages unchecked in over half of global trade

There are many losers and few winners when companies bribe foreign public officials to win lucrative overseas contracts. In prioritising profits over principles, governments in most major exporting countries fail to prosecute companies flouting laws criminalising foreign bribery.

Ensuring that climate funds reach those in need

As climate change creates huge ecological and economic damage, more and more money is being given to at-risk countries to help them prevent it and adapt to its effects. But poorly governed climate finance can be diverted into private bank accounts and vanity projects, often leading to damaging effects.

Why rather

Follow us on Why rather